segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Uma flor em sua eternidade ( Tributo a Miriam Beti )

Descobri um regato de flores, mas nao as podia tocar, pois nao lhes alcancava.
Entao decidi brota-las em imaginacao.  E enxerguei, muitas, com um sonoro perfume.
Mas quis mais.  Que elas vivessem comigo, so por existir.  Assim sendo, haveria que rega-las.  So assim, descobri um mundo.
Nele nao havia percalcos, e preocupacao com o de fora.  Tudo se assemelhava sereno, e eu lhes sentia as palavras.  Sempre conversando comigo, ja nao havia mais segredos.
Decidi conhecer o murmurio das plantas, que cultivam suas raizes ao solo.  Terra e agua, verdadeiro misterio da criacao, e tambem pude ouvi-las.  Conversamos, sem que as palavras dos homens nos fizessem quaisquer gestos.
As flores e as plantas se tornaram minha vida, que se remeteu a um momento de crianca.
Em que eu olhava as casas a minha volta, e nao sei o que pensava.  E tanto se me faz, agora, nada mais do que recordacao.  E me veio a mente aquela noite, em que tomei a bola e, ludicamente, comecei a bate-la contra a parede, embevecida.   Mas a autoridade me pediu o termino, e eu nao sabia das flores.  Parei.
De que tanto me basta o desencontro, se chego agora ao meu lugar, todos os bens se voltando a mim, deveras preciosos.
Miriam Beatriz era nossa amiga, e adoeceu.  Tornou-se re de si mesma, e acabou com a propria vida, nunca esqueceremos. Nao encontro motivo para que voce nao tivesse tido a mesma chance.  As cores que pintou deveriam guia-la ao mais sublime, e nao a negacao.  Mas respeito sua decisao, entendendo seu imenso sofrer.  Que se estendeu a nos, incredulas, ao passar dos anos, pela sua partida precoce.
Vagando por ai, Beti, voce se fez mulher tao cedo.  Quando a encontrei pela ultima vez, ja intui sua grande ausencia.  Mas as palavras nao trazem retorno, e me calei.  Por absoluta covardia, me neguei ao ultimo abraco.
Como aqui restei, poderia lhe contar de que valeu.  Pelos desafios e achados, e pela necessidade de amar, sobretudo a mim mesma e, muito menos, ao mundo dos homens, bastante perfido em suas consequencias.
Das flores que voce pintou, exuberantes cores, eu quis alcancar o sentido, e por isso vaguei a procura.  Ninguem me ensinou caminhos de descoberta, os quais simplesmente vivi.
Gostaria de lhe falar do bom e belo, mas isso voce ja sabe, onde estiver.  Apenas seu corpo nao atingiu a dimensao da dor humana.  Seu coracao deveria estar pequeno, mas so voce nao saberia o quanto glorioso.  E da alegria que poderia advir do suceder.
Recuso-me a admitir os rotulos que lhe foram  dados.  Eles nao sao importantes, e nao fazem jus a sua sensibilidade.  Pois se vai o que sofre, e o sentimento que carrega e grande demais para ser mesquinho.
Nao existe o nao capaz, mas seu inverso.  Encarar a brutalidade do que e, quando suas flores nao lhe saltem aos olhos, porque nao lhes sao suficientes.  Beti, para voce nao as eram mas, ao ve-las, sinto luz aos meus olhos.  Voce ficou.
A vida e um preambulo, entre as sensacoes que se extinguem, num contorno de tempo finito.  E tao bom te-las perto, e sabe-las vivas.  Tao importante rumar ao sabor dos ventos, querendo mais.  So uma alma calida possa entender de que e um direito estar vivo, e acompanhar momentos de felicidade.  Dependem da vontade de se querer olha-los, e so.  Sem devaneios, simplesmente acreditando por ser.
E os regatos de flores ficam mais coloridos, e invadem minha poesia.  A mesma que conheco ha decadas, feita pelas palavras do homem, fruto da natureza, como seu todo.  E elas sao vermelhas, amarelas, lilas, e tudo que eu possa ver.  Sao as mesmas as quais fotografei, e do qual nunca fui convencida de que nao se tratavam de uma pintura, tal a beleza viva.
Devo estar me brindando com muita felicidade.  E e exatamente o que se faz merecer.  E a cor do dia, e o silencio da noite, ambos curtos, mas poeticos.  E o escrever, sempre.
Nesses regatos, entre as flores, so um nome.  Que fica na memoria, fonte de inspiracao.  Sem que eu saiba muito, o que nao mudara minha percepcao.   Melodico, faz coro com as palavras das flores, por elas falando.  Para tanto, o que tambem me e bem.
 Beti, porque tao cedo, se havia tanto.  Mais por nos, talvez, do que por voce mesma.  Talvez lhe tenha sido a paz, para nos saudade.  Aceito a aqueles que nao encontram motivos entre nos, e minha dor e verdadeira.
Se nao consegui demonstrar minha amizade, saiba que sua imagem caminha comigo, nesses longos anos que nos separam.
Voce e um ponto, estrela ou mais.  Uma grande flor.  Uma flor eterna.


.                    

Nenhum comentário:

Postar um comentário