sábado, 25 de março de 2017

Coragem ( Presente em si )

Voce esta me esperando, num gesto amoroso.
Depois da vista de paisagens bucolicas, so me querer andar a beira do mar.  Acompanhe-me, desfrutemos desse momento a brisa exposta, o falar pouco, na companhia presente e esperada.
O contato com a areia faz bem, e a mudanca de cenario encaixa seu rosto perfeitamente.  Como se, nao menos, desejasse.  Fiquemos assim, quietos, saboreando o silencio da nao mais solidao, no contato tenue entre nossos corpos, despertos.
Caminhemos de volta, meio ebrios, na leveza do nao saber o que se e, expectativa do que vira a ser.
Acompanhe-me ao meu hotel, e suba a meu quarto, sem pedir.  Tomemos a ultima, quem sabe nao derradeira, cerveja.
Beijemo-nos de um jeito so nosso, que perca distancias, unico. Longe do mundo la fora, no enredo de uma estoria de amor a dois.
Dispa-me tao devagar, quanto grande sua volupia. Narre-me uma estoria que so saia de sua boca, e me peca para ficar.   Toquemos nossos corpos num abraco, em que beijos febris so festejem.  Para fazer poesia, basta a vontade.
Gostaria tanto de que voce me fizesse uma massagem, branda, tenue, delicada. Sentiria a caricia de suas maos, e me entregaria inteira, nao importa para onde.
 Acontece quando o prazer se alia a vontade de carinho.  Quando remexer seus cabelos e tao doce, quanto sentir voce dentro de mim.  Chorar e pelo todo, desde os menores gestos.  Olhos  que revelem a alma, e deles nao mais se esqueca.  E uma boca que sussurre um nome, ainda que em silencio total.
Amemo-nos por um prazo nao estipulado, digno de nossa memoria.  Brindemos a despedida a cada abraco encontrado, e todo o beijo que perturbe nossos labios.  Sendo em ser, somente o momento de tanta grandiosidade, para depois o fim, tanto faz.
Fiquemos assim, sem arrependimento, tao apenas o que possa ser.
A cada destino, um futuro e desafio.  A nos, o presente em sua verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário