domingo, 25 de dezembro de 2016

Lee, so para voce ( Ode ao meu ventre materno )

Muita chuva e frio.  Lembro-me do dia em que meu filho nasceu.
Ha mulheres que olham seu rebento com ternura imediata.
Havia se passado alguns dias da data do parto, e acordei, numa madrugada do dia primeiro de janeiro, decidindo que aquele seria o dia.  Eu tenho um pouco dessas coisas, estabelecer o dia.  Nao, foi voce que me esperou.
E, entre a labuta de viver minhas contracoes aumentando, e meu ventre pedindo para que saisse, foi num dado momento que voce veio ao mundo.  Sem que eu tivesse a menor reacao de uma mae amorosa, que chora ludicamente. Voce me foi colocado em cima, e minha reacao foi de espanto e incredulidade, porque deixamos de ser um so. Comecamos nossa estrada, agora ja nao mais simbioticos.
Depois me lembro de que apaguei todos os vestigios de sono, e so consegui sair do quarto para lhe ver uma, dez vezes.  Voce era o bebe mais punk do bercario, com aquele cabelo espetadinho.
Foram se passando tantos anos, Lee.  Tantas dificuldades e renuncia, tantos prazeres e deleites.
Fui sua torcedora fiel nos anos de basquete a fio, ouvinte de todas as inumeras estorias que voce sempre teve para me contar.
Acompanhei seus passos mesmo nao estando presente, so em amor.
Parece que galgamos uma estrada feita de muitos percalcos, em tantas e mais horas.  Por sua causa, ja chorei lagrimas que pensei nao tivesse, e encontrei em mim a forca de um perdao, que so o ternura materna pode explicar.  Tambem descobri que daria muito de mim para aliviar sua dor, que minha e tambem .
Gostaria de lhe indicar um caminho, num pedido mudo que e inconsciente.  Todos tem seus rumos proprios, e suas derrotas e alegrias sao fruto do seu pessoal entendimento do que ai esta.
A vida e um voo, entre as alturas e a rasante, os dois cheios de desafios e perigos. O importante e que se tenha, na medida, a bussola do destino, e se saiba que sempre e benvindo o regressar.
Os momentos em que voce me surpreende sao lindos, porque vejo que os livros e a delicia da vida lhe marcaram .
Nao, nada e facil.  Para voce especialmente.  Isso engrandece sua forca, e me torna, sempre , sua cumplice.
Pois tenho por voce um amor que as palavras nunca alcancam. Forte, limpido e com humildade.  Sem medo, as agrurias ja me mostraram que nao ha desafio insuperavel.
Abra o ano, descubra e enleve.  A vida e boa, e sua idade traz o descompromisso do conhecer e saborear. O mundo dos homens e esse, Lee, que voce ja sabia na sua intuicao e critica, e no seu jeito especial de, a tudo, assistir.
Lee, oh, Lee,oh, eu amo voce....Vou cantando por 26 anos.
Cantarei por muitos mais.
Muitas flores, coloridas e singelas.
Lee, amado, querido filho.

2 comentários:

  1. Lee, que mãe bacana você tem !! Anabela, que filho lindo é o Lee!! Beijos!! <3 <3

    ResponderExcluir
  2. Celia, muito obrigada ! Muitos beijos !

    ResponderExcluir